Meu Corpo, Minhas Cores

Data(s) e Horário(s): 08/03 às 16:00h, 09/03 às 16:00h, 10/03 às 16:00h, 11/03 às 16:00h, 12/03 às 15:00h, 15/03 às 16:00h, 16/03 às 16:00h, 17/03 às 16:00h, 18/03 às 16:00h, 19/03 às 15:00h, 29/03 às 16:00h, 30/03 às 16:00h, 31/03 às 16:00h, 01/04 às 16:00h, 02/04 às 15:00h, 05/04 às 16:00h, 06/04 às 16:00h, 07/04 às 16:00h, 08/04 às 16:00h, 09/04 às 15:00h, 12/04 às 16:00h, 13/04 às 16:00h, 14/04 às 16:00h, 15/04 às 16:00h, 16/04 às 15:00h, 19/04 às 16:00h, 20/04 às 16:00h, 21/04 às 16:00h, 22/04 às 16:00h, 23/04 às 15:00h, 26/04 às 16:00h, 27/04 às 16:00h, 28/04 às 16:00h, 29/04 às 16:00h, 30/04 às 15:00h

Local: Rua Gamboa de Cima 03, Centro (ao lado do Quartel dos Aflitos)

Preço: gratuito

Mais Informações

A exposição interativa Meu Corpo, Minhas Cores brinca com os limites de um corpo expandido entre a matéria e o vazio, ao fazer intervenções como recortes e colagens, experimentação de cores e impressões sobre variados suportes de fotografias de um corpo pintado, multicolorido, fotografias estas produzidas e concebidas pela atriz e maquiadora Nayara Homem e pelo fotógrafo Paulo Guedes, que investigam deste modo o corpo como suporte artístico, reflexo do desejo de ampliação para corpos cada vez mais livres.

 

Ao pensar em Corpo e em Cores, é necessário refletir a respeito da recepção pessoal que incide sobre esses dois elementos. Afinal de contas um corpo é ele em si próprio dentro de um ambiente, ou é sua percepção sobre o mesmo? A análise existe e perpassa em cada indivíduo receptor por diversos fatores como óptica, quantitativo de saúde, estética, ética, moral, conceituações míticas, além de toda influência histórica e midiática.

 

Em geral, atribui-se a um corpo o conceito de algo que tem uma extensão limitada, definida; e à cor como sendo uma sensação produzida pela interação do nosso aparelho óptico com a luz em diferentes comprimentos de onda. Nosso corpo, envolto em cor é, finalmente, algo determinado ou variável? A exposição é guiada por algumas provocações: qual o limite que nos cabe dentro de cada ambiente e das definições de padrões sociais? Seu corpo é você? Quantas expressões corporais cabem dentro de nosso corpo? O que faz você sentir seus limites corporais? O que leva a extrapolar? Esses limites são reais?

 

Foram referências os trabalhos de alguns artistas que têm como suporte principal a intervenção em fotografias. São eles: Anna Bella Geiger (BRA), Isabel M. Martinez (CHI), Hernán Soriano (ARG), John Stezaker (GBR), Franz Falckenhaus (POL), Pablo Thecuadro (ESP) e Andy Warhol (USA).

 

Ficha Técnica

Concepção e Realização: Nayara Homem e Paulo Guedes

Fotógrafo e Editor de Imagens: Paulo Guedes

Assistente de Fotografia e Editora de Imagens: Sandra Viana

Maquiadora e Modelo: Nayara Homem

Cabelo: Roberto Rosa

Apoio Financeiro

Desenvolvido Por:

WebD2 Desenvolvimento Web