Criança Viada ou de Como me disseram que eu era Gay

Data(s) e Horário(s): 05/06 às 19:00h, 06/06 às 19:00h, 07/06 às 19:00h

Local: Rua Gamboa de Cima 03, Centro (ao lado do Quartel dos Aflitos)

Preço: 20,00 (inteira) e 10,00(meia entrada)

Mais Informações

Primeiro solo da carreira do ator Vinicius Bustani, Criança viada ou de como me disseram que eu era gay tem como tema o preconceito fruto da homofobia e suas implicações na vida de uma pessoa LGBT desde a infância até a vida adulta. A peça, que tem texto do próprio ator e direção e dramaturgia de Paula Lice, lança mão do gênero documental para falar sobre o isolamento que se impõe às crianças e adolescentes que não se enquadram nos padrões de comportamento heteronormativos. O espetáculo propõe, desde o título, uma reflexão sobre a homofobia velada e naturalizada nas nossas relações cotidianas. Se a livre expressão de gênero não tem implicação na orientação da sexualidade, a Criança Viada vem para estimular a sensibilidade crítica, em busca de acolhimento e empatia.

 

A cena é pensada para palco italiano ou salas de aula, em uma conformação que respeita a frontalidade ou o círculo. Existe uma intenção de diálogo e alusão a uma pedagogia das emoções e da reflexão. O ator, ora se posiciona como personagem, ora se posiciona como si mesmo, partindo do pressuposto de que é tudo ficção e tudo verdade. Algumas cenas propõem interação com o público e poucas mantém fechada a quarta parede. Trata-se de uma cena porosa, aberta à relação com o outro.

 

Classificação indicativa: 18 anos

 

Ficha Técnica

Texto e atuação: Vinicius Bustani

Direção e dramaturgia: Paula Lice

Direção de arte: Lia Cunha e Tiago Ribeiro

Direção musical: Heitor Dantas

Desenho de Luz: Larissa Lacerda

Produção: Tais Bichara

Assessoria de Comunicação: Mônica Santana

Assistência técnica de luz e som: Débora Medeiros, Tiago Lins, Nayack Saturnino, Murilo Viola e Ed Castelo

Apoio Financeiro

Desenvolvido Por:

WebD2 Desenvolvimento Web